Faça o download do Projeto PG +200

Fazer download

Em breve um nosso site

PG+200 reuniu lideranças para discutir propostas para cidade

Projeto PG+200
Foto: André Jonsson
Projeto PG+200
Foto: André Jonsson

Na última sexta-feira (13), o PG+200 reuniu centenas de pessoas, entre líderes de partidos, líderes comunitários e associativistas, para apresentar um estudo detalhado para Ponta Grossa. O intuito do encontro foi evidenciar que o momento é ímpar para discutir desafios e problemas da cidade, mas acima de tudo expor sugestões e encontrar soluções para criar projetos inovadores, factíveis e que se adaptem à condição fiscal do município. Inclusive, um dos assuntos debatidos foram os desafios que os municípios terão diante de pandemias, como o Covid-19, que acabam interferindo não apenas na saúde, mas na economia como um todo.

O idealizador do projeto, Marcio Pauliki, ressaltou que é muito importante que todos se unam a favor da cidade, ainda mais nos próximos três anos, quando a cidade completa seu bicentenário. “Todos os presentes, neste evento, sabem da relevância de discutir de forma técnica quais são as oportunidades da cidade, quais são os desafios e, principalmente, quais são as soluções para Ponta Grossa”, garantiu.

As lideranças repercutiram suas impressões sobre o PG+200 e também o que esperam para o futuro de Ponta Grossa. O atual presidente da Associação Comercial, Industrial e Empresarial de Ponta Grossa (ACIPG), Douglas Taques Fonseca, disse que a perspectiva de futuro para a cidade é positiva, especialmente, com as novas indústrias se instalando e gerando empregos, recursos e investimentos. “Acredito que o PG+200 vai contribuir muito para esse crescimento, até porque um projeto semelhante a esse, implantado pelo Marcio em sua gestão na ACIPG, é utilizado até hoje por nós”, evidenciou.

Para o presidente do Grupo Gestor do Operário Ferroviário e presidente do Grupo GMAD, Álvaro Góes, o PG+200 fará a diferença no futuro, da mesma forma que o administrador que virá assumir a prefeitura. “Quem for o novo gestor da cidade deverá ter mão de ferro, diminuindo as despesas e gastando aquilo que arrecada. Minha opinião é que não poderá ser um gestor para poucas pessoas, tem que ser um gestor do povo, para as pessoas que sofrem nos bairros as dificuldades, sem saneamento, sem escola, sem saúde... isso é o importante”, salientou.

O PG+200 contou com 42 mil participações, onde foram selecionadas aquelas ideias que podem ser aplicadas dentro da gestão fiscal da cidade, dos recursos humanos e da valorização dos funcionários públicos. Para o vereador Jorge da Farmácia, o projeto PG+200 é uma forma de se aproximar da população. “Trazer a população para perto dos políticos é excelente, pois quando as pessoas participam, elas podem contribuir com o que acontece lá na ponta, lá nos bairros. Então, este estudo vai colaborar com o desenvolvimento de Ponta Grossa no geral”, frisou.

O presidente estadual do PMB (Partido da Mulher Brasileira), Matheus Worschech, entende que o PG+200 é extremamente significativo, porque foi construído com a participação da sociedade. “Essa construção coletiva é muito importante para Ponta Grossa avançar a curto, médio e longo prazo de forma eficiente, sustentável e inovadora”, realçou.

Já o presidente da AME (Associação de Ministros Evangélicos), Marcelo Pelissari, destaca que o PG+200 traz à tona a importância do planejamento. “Eu acho essa discussão muito plausível, boa de se fazer, pois coloca planos e metas. Afinal, tudo o que é planejado tem a tendência de sair bem feito, não se pode fazer as coisas de qualquer jeito”, afirmou.

Marcio explicou que o PG+200 não para e ainda irá avançar. “Ao longo dos meses, muita coisa irá se desenvolver, logo teremos um projeto espetacular para uma cidade que precisa estar, nos próximos anos, entre as 100 melhores para se viver, fazer negócio, com boa gestão fiscal e com um desenvolvimento econômico que gere mais progresso social”, enfatizou.